É muito caro, para não dar resultado

31 de maio de 2009 0 Por atercombr

Publicidade custa caro. Caro demais para não dar resultado.
Por isso, deve ser planejada e criada de acordo com os interesses, necessidades, desejos, expectativas, requerimentos, anseios e receios dos nossos públicos-alvo (além de pertinente com os objetivos de marketing e o orçamento do anunciante).

Quanto custa uma página dupla de Veja?
Ou 30 segundos no Jornal Nacional da Globo?
Ou uma página de anúncio na Folha ou no Estadão?

Bom pesquisar a respeito.

É claro que não se anuncia só nestes veículos, de maior audiência.
Mas todo e qualquer esforço publicitário tem mum custo (chamamos de investimento, mas é um custo para o anunciante). E este custo tem que vale a pena. Isto é: tem que gerar resultados positivos, em vendas e em imagem de marca.

Por isso, não basta ter uma idéia criativa e depois justificá-la, enfileirando dados e informações que corroborem o caminho criativo da agência. Isso é falsidade, amadorismo e desonesto. Canso de ver isso, até de agências de grande porte.

Publicidade tem que ser desenvolvida de acordo com os públicos-alvo da empresa ou do produto, ou serviço. Jamais pela ótica dos publicitários, dos diretores de marketing ou dos donos da empresa, pois não temos que anunciar para nós mesmos. Temos que anunciar para os consumidores, sejam eles do varejo, da indústria ou de serviços.

David Ogilvy escreveu, um dia: “Publicidade barata que não dá resultado custa caro e publicidade cara que dá resultado custa barato”.

Bom pensar a respeito deste pensamento, antes de torrar a grana que for, do teu cliente.

Publicidade é uma alavanca de vendas. Se não for, não é Publicidade eficaz.

Um exemplo claro

Mesmo com a crise financeira que assola os EUA, um comercial de 30 segundos no intervalo do Super Bowl vai custar US$3milhões. No ano passado, saíu por US$2,6 milhões. Além disso, a Dream Works Animation e a marca de bebidas SoBe, da Pepsi, acertaram a criação de um comercial em 3D. A Pepsi distribuirá 125 milhões de óculos (em cerca de 25 mil pontos de venda) para os consumidores assistirem ao filme.

Li no jornal Lance!, da sábado.

Não pode não dar resultado. Pode?

No ano passado, a Budweiser comprou 10 veculações no Super Bowl, desenbolsando um investimento de 26 milhões de dólares, numa tarde de domingo – com 130 milhões de telespectadores, só nos Estados Unidos.

Você teria coragem de criar os comerciais que seriam veiculados, sem estudar muito o problema que a comunicação tem que resolver, sem conhecer as expectativas dos seus públicos-alvo?

Mas o que dizer de pequenos clientes que não disponibilizam de uma verba razoavelmente boa? Como você mesmo diz: Fazer / investir em propaganda”é muito caro para não dar resultado”.

Todavia, mais complicado ainda é o cliente querer, por exemplo, fazer 10 inserções numa rádio, 1 módulo de jornal e 3 inserções no horário nobre e já querer ter o resultado refletido nas suas vendas, afinal ele não quer saber de “construir uma imagem” e sim que suas vendas sejam alavancadas.

PS: o caso acima é só um exemplo.
Com certeza você – que está lendo e que atua no ramo – deve saber do que tô falando: clientes que acham que é só anunciar (não importando o veículo) que vai colher os re$ultado$..

Quanto aos resultados, a questão é…

A publicidade brasileira tá cheia de gente burra…pensam na publicidade como arte pura ou coisa parecida….daí…o cara se preocupa mais com a forma, do que com o resultado o ROI (retorno sobre investimento) do cliente…

As empresas precisam vender….se elas vendem…a publicidade foi boa…simples assim…

Se com uma verba de 10.000 reais os objetivos de marketing do cliente forem alcançados, mesmo não utilizando meios de comunicação caros para a verba que o cliente disponibilizou, a propaganda foi bem feita trazendo o resultado esperado.

Com uma verda de 10 milões de reais e os objetivos de marketing do cliente não forem atingidos, mesmo utilizando meios de comunicação como Tv, radio, Jornal, Revista, a propaganda foi mal feita e o dinheiro da empresa foi mal utilizado.

Nem sempre é necessário utilizar meios de comunicação que atinjam o Brasil inteiro para solucionar seus problemas.

Toda a comunicação de uma marca deve dar sua
contribuição para a formação da imagem de marca.
David Ogilvy.

Publicidade vagabunda, feia, mal feita, burra, cheia
de erros passa a imagem de uma marca vagabunda,
feia, mal feita, cheia de erros e sem qualidade. Podre.

A qualidade e a eficiência da idéia publicitária
independem da verba do anunciante.

Um exemplo

Uma vez, há alguns anos, um cliente meu tinha 2 apartamentos para vender na Praia Mansa de Caiobá, onde não seriam mais permitidas as construções de edifícios.
Como solucionei o problema de comunicação?
Simples e sem custo: com uma nota na coluna social mais lida de Curitiba (que, na época era a do jornalista Dino Almeida, grande amigo meu já falecido, infelizmente).
Era alguma coisa assim:
“O empresario fulano de tal vai colocar à venda as duas últimas
oportunidades de se ter um apartamento na Praia Mansa de
Caiobá. Imperdível oportunidade, para quem pode”.
No mesmo dia, choveram telefonemas e o meu cliente vendeu os 2 apartamentos à vista.
Quanto cobrei? Nada.
Este empresário é meu cliente até hoje…e faz mais de 30 anos que é.

Se pararmos para pensar sensatamente, chegaremos a essa conclusão lógica. Sem dúvidas nos é depositado uma “responsabilidade” que exigirá muito além de uma simples campanha; seja para a coca-cola, seja para o mercadinho fulano de tal.

O dinheiro investido por uma empresa ou produto deverá trazer resultados, principalmente porque o investimento para o mesmo acontece de forma “forçada”. Já que poucos querem pagar quanto realmente vale toda uma campanha.

Sem contar que é nosso trabalho. Gerar resultados é uma obrigação. E para isso, é preciso muito estudo e dedicação. Cada um fazendo sua parte; eles investem, nós damos o que eles querem.

a obrigação da vez ao meu ver se chama SEGMENTAÇÃO DE MERCADO….
Ir direto ao Publico alvo, falar o q eles querem ver ler e ouvir e como querem ver ler e ouvir….

Fazer um comercial ou um anuncio engraçado eh legal, mas fazer um anuncio onde os resultados são efetivamente positivos é melhor ainda…..

Infelizmente muitas pessoas ainda vêem a Publicidade como apenas CRIAÇÃO, se esquecendo de toda equipe que planeja, que pesquisa, que segmenta a campanha….

Eu particularmente fico muito chateado, pois apenas se tem espaço para criação, eu não sou muito fã da criação, porém gosto de planejar, pesquisar, estudar o caso…. acredito q eh de grande importancia, mas la fora no mercado nao eh bem o q acontece…..

Existem agências e clientes de todos os portes.
Independentemente disso, os publicitários devem trabalhar para encontrar as melhores soluções de comunicação de vendas, para cada situação ou problema que surgir – grande, médio ou pequeno.

Se é uma indústria de biscoitos, com distribuição nacional, temos que pensar em soluções de mídia de massa, de ações de PDV, de atividades com o trade, em promoção de vendas, sites e portais, assessoria de imprensa, RP, merchandising, etc.

Se é uma pastelaria, com um loja só, e uma verba de 1.500 por mês, podemos trabalhar a vizinhança, com panfletagens, além de programação visual da loja e talvez alguma coisa no jornal do bairro…

Se é uma loja de materiais esportivos, com 3 filiais na cidade, podemos usar as rádios, jornal, assessoria de imprensa, design e talvez até um marketing direto na vizinhança de cada loja, entre outras possibilidades.

Se é uma indústria de embalagens de papelão, podemos trabalhar bem o site, e-commerce, e-mail marketing, folders, anúncios em revistas técnicas ou segmentadas, assessoria de imprensa, marketing de relacionamento com os clientes, marketing ambiental e social, etc.

Se é um revendedor de tratores pesados, podemos anunciar em revistas técnicas ou segmentadas, elaborar folhetos técnicos, produzir uma revista bimensal, trabalhar assessoria de imprensa, desenvolver ótimo RP, realizar eventos, etc.

Não estou ditando fórmulas, só mostrando alguns exemplos de quão diferente é atuar com cada cliente, em cada mercado, com cada público, com cada orçamento e limitação.

Em todos os casos, temos que ajudar a gerar resultados positivos em imagem de marca e, principalmente, em vendas. Ou estaremos queimando o dinheiro dos nossos clientes/anunciantes.

Um anunciante que compra de 6 a 10 veiculações no SuperBowl norte-americano, estará investindo de 18 a 30 milhões de dólares numa tarde de domingo.

Não pode não aumentar as vendas. Ou o diretorde marketing e a agência bailam.

200 milhões de reais.

200 milhões de reais é a verba deste ano da Nestlé, que acaba de informar que não vai mais anunciar para crianças com menos de 6 anos e vai restringir sua comunicação para crianças com menos de 12 anos. E que não vai reduzir sua verba, apesar da propagada crise finenceira mundial.
Quem investe 200 milhões de reais em comunicação de marketing pode não gerar resultados positivos?